Grupo Vieira da Cunha
Ensolarado

Tempo hoje

Min 20 / Max 31 +mais
Acesse mais notícias

Fotos

Acidente entre carro e ônibus bloqueia a Saldanha Marinho. Acesse Fotos

Vídeos

Multidão faz festa na inauguração do comitê de Ana Amélia e José Otávio Acesse Vídeos

Planeta Arroz

Cotação do Arroz em Cachoeira do Sul - RS
Arroz em Casca Padrão: Agulhinha Irrigado
50kg - FOB Média Mínima Máxima
15/08/2014 35,20 32,00 36,80
Últimas Notícias

Fórum do Leitor

Rosalvo Lourenço
Rosalvo Lourenço
comentou sobre "Dilma e Aécio aparecem empatados em segundo turno".
TOLERÂNCIA

Há um ditado popular com os seguintes dizeres: “não seja demais tolerante para que tua casa não se transforme em casa de tolerância”. Partindo deste princípio básico, há que impor um limite para tudo na vida em sociedade. Desta forma, a sociedade determinou valores nos quais toda a proteção estatal se faz vigente e presente. Como exemplo temos as leis que são instrumentos de proteção aos valores erigidos como preciosos para o exercício da cidadania e para que o grupo social não se desagregue. Nesta senda, a Alemanha de Hitler é fonte de estudos sociais para que se determine o porquê que a democracia foi solapada por uma doutrina de esquerda. Não há diferença ontológica entre nazismo e comunismo. Ambas são doutrinas totalitárias onde o Estado é o supremo a ser obedecido e, por que não dizer, adorado. A democracia sempre foi a ferramenta utilizada pelas ideias totalitárias para dominar a sociedade para implantação de sua doutrina antagônica aos princípios de um governo do povo, pelo povo e para o povo. Aliás, a palavra “povo” é outra falácia argumentativa porque a noção de coletivo (povo) é exatamente o que se pretende impor no regime totalitário contra o salutar individualismo. Hitler deveria ter sido combatido desde o início, mas os países democratas se calaram ao que estava acontecendo. Vamos lembrar que o filme “O Grande Ditador” de Chaplin é datado de 1940. Pouco depois de a Alemanha invadir Polônia dando início à Segunda Guerra Mundial. Digno de nota é a atuação de Neville Chamberlain, Primeiro-Ministro inglês que se notabilizou por acreditar nas promessa de paz entre Inglaterra e Alemanha. Tal acordo levou Churchil a proferir a célebre frase: “entre a desonra e a guerra, eles escolheram a desonra, e terão a guerra”. A Europa “lambe as feridas” do conflito armado porque deixou-se a mentira crescer em proporções alarmantes. No Brasil, o bem mais precioso que temos de preservar é a democracia. Em 1964, segundo Roberto Campos, ou escolhia-se entre uma ditadura acanhada, envergonhada, receosa, ou deixava-se o comunismo prosperar com todas as mazelas vistas na antiga URSS, China, Cuba, etc. Pois bem, existe hoje uma ameaça real à democracia e, esta ameaça chama-se Partido dos Trabalhadores. Ninguém é intolerante, apenas combate-se tenazmente e mostramos as contradições e mentiras do lulopetismo. A tolerância de Chamberlain fez parte da cadeia de horrores advindos com a guerra europeia. No passado a inocência só serviu ao totalitarismo, e hoje isto se mantém. Não vou citar exemplos. Todos sabem que mentira, opressão e ditadura de grupos sociais determinados pelo Estado redunda em caos expresso na divisão da sociedade. Disto advém as mazelas vistas ao longo de toda a história. Tolerância tem limite, como fanatismo, mordacidade, sagacidade. Inocência foi morta no livro de mesmo título. A inocência política é o primeiro passo para a desgraça social.

Acesse o Fórum do Leitor

Guia Fone JP

Busque telefones em Cachoeira do Sul

Residencial
Comercial

Colunistas

Acesse mais colunistas
JPzinho

VC Repórter - imagem do leitor

de Tania Luci Lemes Schuck Rede de Mulheres
Matéria do Leitor
por Tania Luci Lemes Schuck
Agradecimento
participe do vc repórter
Classificados JP Área do Assinante

Enquete

O que é o melhor do final de semana?

Cotações

URM R$ 46,27
UFIR R$ 1,0641
DÓLAR COMERCIAL c R$ 2,277
v R$ 2,278
POUPANÇA %0,6391
Acesse mais cotações